Concerto gratuito

Trio Corrente

Edu Ribeiro, bateria

Fabio Torres, piano

Paulo Paulelli, contrabaixo

Formado em 2001 pela união do baterista Edu Ribeiro, do pianista Fabio Torres e do contrabaixista Paulo Paulelli, o Trio Corrente vem criando um som original, interpretando de forma única os clássicos do choro, da MPB e do seu crescente repertório autoral. Nas performances do Trio, aliam-se em um agradável equilíbrio solos virtuosísticos e momentos de rara sutileza. Quando gravaram o seu primeiro álbum, Corrente, em 2005, numa breve tarde no estúdio de ensaio do baterista, nenhum membro do Trio esperava o caminho pleno que acabariam por trilhar.

Como se ocupassem um espaço vago na cena instrumental brasileira atual, acabaram tornando-se referência entre músicos e amantes de música. Desde os primeiros concertos, o grupo vem juntando um número de seguidores cada vez maior formado não só por apaixonados pelo jazz e pelo choro mas também pelo grande público em geral. Poucos grupos de jazz brasileiros têm sentido tamanho destaque no circuito nacional e internacional.

Em 2011, o Trio Corrente gravou o seu segundo álbum, Volume 2, e em 2014, o álbum Song For Maura, uma parceria com Paquito D’Rivera, conquistou o Grammy Award como melhor álbum de jazz latino. Pelo mesmo trabalho, ainda venceriam, na mesma categoria, o Latin Grammy, dividindo o prêmio como lendário pianista americano Chick Corea. Em 2016 lançam seu novo álbum, Volume 3. A maioria das composições é de artistas consagrados como Jobim e Pixinguinha, passando por Djavan, Caymmi e Chico Buarque. Além dos clássicos, o grupo apresenta composições autorais dos três integrantes. Se é verdade que um grupo de jazz brasileiro vencer o prêmio mais cobiçado da música mundial - feito realizado pelo lendário Tom Jobim e pela pianista Eliane Elias - impõe uma nova responsabilidade aos músicos, isso também traz amadurecimento. Paulelli, Torres e Ribeiro não abriram mão da complexidade técnica, mas muitas vezes uma frase virtuosística cede espaço para um bela melodia. Os anos trouxeram ainda mais sincronia ao grupo, e o resultado é um trabalho com notável acabamento musical.

Nailor Azevedo (Proveta), sax alto e clarinete

Ubaldo Versolato, sax barítono, flauta e píccolo

Josué dos Santos, sax tenor e flauta

Cássio Ferreira, sax tenor, soprano e flauta

François de Lima, trombone de válvulas

Valdir Ferreira, trombone de vara

Nahor Gomes, Walmir Gil e Odésio Jericó, trompetes e flugelhorn

Jarbas Barbosa, guitarra elétrica

Edson José Alves, contrabaixo elétrico

Celso de Almeida, bateria

Fred Prince e Cléber Almeida,  percussão

A ideia do que é hoje a Banda Mantiqueira surgiu na cabeça do Nailor Azevedo, o Proveta, em 1983. Naquela época, ele morava com outros músicos numa “república” no baixo do Bixiga, em São Paulo. A Banda Mantiqueira iniciou suas apresentações em bares de São Paulo; no Sanja Jazz Bar, depois no Vou Vivendo e no Supremo Musical.

O primeiro CD da banda, Aldeia, obteve nominação para o prêmio GRAMMY, na categoria de Melhor Performance de Jazz Latino, em 1998. Em 2000, foi lançado o segundo CD, Bixiga, e em 2000 a Banda Mantiqueira com a Osesp fez concertos de música popular brasileira na Sala São Paulo, sob a regência de John Neschling. Os concertos foram gravados em CD do selo da Osesp. Da parceria com a Osesp, além do disco gravado ao vivo nos concertos no final do ano 2000, resultou outro CD, este com a participação da cantora Luciana Souza, também gravado ao vivo na Sala São Paulo.

Outra série de concertos da Banda Mantiqueira com a Osesp e a cantora Monica Salmaso resultou em novo CD lançado pelo selo Biscoito Fino, em 2007. Em dezembro de 2005, lançou novo CD Terra Amantiquira, pelo selo Maritaca, que ganhou o Prêmio Tim de Música – Edição 2006 – como Melhor Álbum de Música Instrumental. Nessa mesma categoria, foi indicada e nominada ao Grammy Latino 2006.

Em 2011, participou do Brazil Festival in Amsterdam, na Holanda, realizando concerto no Concertgebouw com a Jazz Orchestra of The Concertgebouw.  Em janeiro de 2017, lançou o CD Com Alma, pelo Selo Sesc, com participações especiais de Cacá Malaquias, Romero Lubambo e Wynton Marsalis. Realizou quatro apresentações com a participação de Romero Lubambo.

Banda Mantiqueira