O Centro Cultural Baía dos Vermelhos tem projeto arquitetônico de autoria do arquiteto Marcos Figueiredo, do escritório Vázquez & Junqueira – Arquitetos Associados. A sua concepção arquitetônica é dominada pela perfeita integração dos espaços construídos com a natureza e pelo integral respeito à topografia do local e à preservação das suas condições ambientais. 

Seus principais espaços são o Teatro de Vermelhos, o Anfiteatro da Floresta, a Sala do Porão e a Residência Artística. Além desses espaços, o complexo conta com unidades parcialmente existentes ou a serem implantadas, destinadas a exposições, oficinas culturais, salas de aula, salas multiuso para cinema, teatro e conferências, instalações administrativas, livraria, café, restaurantes, lojas e centros de convivência.

Espaços

Teatro de Vermelhos

O Teatro de Vermelhos é o maior espaço de apresentações artísticas e tem capacidade para 1.100 espectadores, distribuídos entre os 760 lugares da plateia, 112 lugares do setor do coro e 190 lugares do setor da passarela do anel superior. Seu palco foi projetado para receber uma grande orquestra sinfônica e conta com fosso de orquestra para 80 músicos. Uma grande área de docas permite que o teatro receba os itens necessários para as produções de concertos, óperas e espetáculos teatrais e de dança.

Sua edificação é uma grande estrutura metálica, implantada no perfil natural do terreno e com a acomodação da plateia no aclive da colina, com a obtenção de um excelente resultado acústico. O teatro apresenta uma perfeita integração com a floresta que o circunda e oferece uma experiência única ao público e artistas que nele se apresentam.

Sala do Porão

Situada sob o palco do Teatro de Vermelhos, a Sala do Porão é um espaço multiuso adequado para diferentes tipos de apresentações. Pode ser utilizada para concertos de câmara e espetáculos instrumentais e de música popular, além de funcionar como fosso para uma orquestra de até 80 músicos nas apresentações de óperas, balés e outras montagens cênicas. Tem capacidade para 100 ou 200 espectadores, a depender da configuração adotada no espetáculo.

Anfiteatro da Floresta

O Anfiteatro da Floresta, com capacidade para 220 pessoas sentadas e com palco coberto, camarim, banheiros e bar, foi utilizado pela primeira vez em junho de 2013, no evento realizado para a apresentação do projeto de Vermelhos ao público e autoridades de Ilhabela.

O Anfiteatro está inserido na vegetação da Mata Atlântica, com a qual se confunde, e situado próximo ao mar. Sua implantação respeitou inteiramente a topografia natural do terreno e não implicou em intervenção significativa nas condições topográficas do local.

O seu palco é destinado a receber as apresentações de música instrumental e popular e concertos de câmara, em uma atmosfera especial propiciada pela proximidade entre público e artistas. Pode ser utilizado também em programas de residência artística, oficinas culturais, aulas, conferências e debates.

Residência de Vermelhos

A Residência de Vermelhos é um conjunto de espaços destinados ao uso temporário de autores, artistas, acadêmicos e curadores, para o desenvolvimento e finalização de trabalhos em todos os campos artísticos e de criação intelectual. Seu objetivo é oferecer estadia e condições adequadas para o desenvolvimento dos trabalhos e propiciar o diálogo interdisciplinar entre os residentes e a sua interação com a comunidade local. Complementarmente, é utilizada para a hospedagem de artistas e equipes de produção das atividades do complexo cultural.

Atualmente, conta com uma instalação provisória com capacidade para receber até 10 residentes. Em sua configuração final, terá sede administrativa, centro de convivência e 16 bangalôs para hospedagem dos residentes.

Instituto Baía dos Vermelhos

Sede: Av. Governador Mário Covas Júnior, n° 11.970

CEP 11630-000 - Ilhabela/SP 

Escritório: Av. Brigadeiro Luís Antônio, n° 4.763

CEP 01401-002 - São Paulo/SP

Receba nossas novidades por email

Direitos reservados @Instituto Baía dos Vermelhos