Residências

A Residência Artística de Vermelhos é um espaço destinado à permanência temporária de autores, intérpretes e realizadores nos processos de criação, em todos os campos da elaboração artística e intelectual, propiciando aos residentes condições adequadas para o desenvolvimento dos seus trabalhos e para a interação interdisciplinar entre residentes e entre eles e as comunidades locais.

 

Atualmente, a Residência Artística funciona com uma instalação provisória, capacitada a acolher até 10 residentes em seus programas. O seu projeto, entretanto, prevê a implantação de 16 bangalôs destinados à hospedagem dos residentes, espaços destinados à convivência entre eles e aos serviços gerais de recepção, estadia e alimentação, terraços e jardins.

 

Programas realizados

Agosto de 2015

OPI e Quinteto Nelson Ayres

Em agosto de 2015, antes da 1ª edição do festival "Vermelhos - Música e Artes Cênicas" , o Maestro Nelson Ayres desenvolveu um trabalho de oficina com o Maestro Almir Clemente e os integrantes da Orquestra Popular de Ilhabela, a OPI. Esse trabalho teve como objetivo ampliar o conhecimento, experiência e repertório da OPI, logo em seguida se apresentou no festival em conjunto com o Quinteto Nelson Ayres. 

Abril de 2016

"Realidade e Fantasia: Uma tênue linha passeia entre ambas"

Com a concepção e curadoria de Simone Höfling, o programa de residência “Realidade e Fantasia: Uma tênue linha passeia entre ambas” foi realizado com as participações dos artistas plásticos Bartolomeo Gelpi, que realizou o trabalho "Em busca da transcendência";  Katia Canton, com o trabalho "Castelos de areia"; Melissa Lagôa, "Pragmatismo e imaginação; e Renata Madureira, com o trabalho "Apropriar-se e eternizar".

Julho de 2016

"Olho no Olho"

Renata Barros concebeu a instalação Olho no Olho em técnica mista de fotografia e impressão, cujo produto são os olhos colocados no meio da vegetação da floresta e em lugares acessíveis à observação dos espectadores. Representando o resultado desse trabalho, os olhos se convertem em instrumentos que guardam e iluminam a floresta; e, olhando os olhos, o espectador  através dos olhos olha a floresta.

Realizada anteriormente ao festival Vermelhos 2016 - Música e Artes Cênicas", o programa de residência Olho no Olho resultou na produção dos trabalhos que foram instalados no entorno do Teatro de Vermelhos.

Instituto Baía dos Vermelhos

Sede: Av. Governador Mário Covas Júnior, n° 11.970

CEP 11630-000 - Ilhabela/SP 

Escritório: Av. Brigadeiro Luís Antônio, n° 4.763

CEP 01401-002 - São Paulo/SP

Receba nossas novidades por email

Direitos reservados @Instituto Baía dos Vermelhos